informe o texto a ser procurado
Mato Grosso, segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Notícias / Política

23/09/2021 | 11:44

Wilson relembra lei e afirma que 'espírito de porco' escolheu novo nome de ferrovia

Da Redação

O deputado estadual Wilson Santos também não deixou passar batido a troca repentina – e desrespeitosa - do nome da ferrovia estadual ‘Senador Vicente Vuolo’. Segundo ele, quem escolheu a mudança para homenagear o empresário ‘Olacyr de Moraes’ foi tomado por um “espírito de porco”. 

"Deve ter algum espírito de porco que não estudou e fez essa mudança. Esse pessoal da Rumo não sei de onde caiu, chegou mudando tudo e nem nos consultou", disse Wilson, que logo apresentou dois projetos a respeito da nomeação, durante a sessão matutina da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (22).

O parlamentar que foi autor da lei em 1998, que dava à ferrovia o nome de Vuolo, fez questão também de relembrar aa legislação, e logo em seguida, apresentou um novo projeto exigindo a troca do nome do empreendimento, para ser votado com urgência na Casa. Além disso, Wilson também teceu duras críticas, afirmando ainda que quem escolheu a mudança sequer estudou sobre a política e a história de Mato Grosso.

"Estou apresentando dois projetos, ferrovia estadual Senador Vicente Vuolo e um substitutivo integral que, caso a justiça não reconheça a lei estadual de 98, ela acate ao substitutivo. Ou seja, que qualquer traçado que corte o estado seja denominado de Vicente Vuolo", comentou. 

"Devíamos estar discutindo tanta coisa, benefícios da ferrovia, melhoria da competição, renda, emprego, tudo isso desapareceu e houve a centralização na discussão do nome. Está faltando ouvir os políticos, quem está no trecho. A Rumo não tem poder nenhum para dar nome na obra pública. A obra pertence ao povo de Mato Grosso e ponto final", concluiu o parlamentar.

A polêmica sobre a troca dos nomes da ferrovia começou nesta semana em evento na Capital, que contou com a presença do governador Mauro Mendes e representantes da empresa Rumo, responsável pela construção dos trilhos, que ligará os municípios de Rondonópolis até Cuiabá e Lucas do Rio Verde.

Na ocasião, Mendes tirou “corpo fora” e alegou não ter sabido da mudança nos nomes. No entanto, o material de divulgação da ferrovia – feito pelo próprio Palácio Paiaguás, demonstrou o contrário, já que o vídeo de apresentação trazia a ferrovia já “rebatizada”. 

Mendes, mais uma vez, mostrou que prefere ignorar a história, certamente, motivado por uma birra política e desejo tolo de atingir pessoas que cercam o prefeito Emanuel Pinheiro, como é o caso do filho de Vuolo e secretário Municipal, Francisco Vuolo.
 

GW100 News

 
Sitevip Internet